Regresso aos mercados

O regresso aos mercados é sem dúvida uma excelente notícia. Prova disso são os malabarismos que Seguro (não) conseguiu fazer para tentar passar esta colocação de dívida como confirmação dos seus pedidos. Na verdade, no que diz respeito à troika, é bem possível que possamos pedir menos tempo e menos dinheiro. A versão de Seguro era mais tempo de programa e mais dinheiro da troika. Isso significaria um programa mais longo com mais dívida. Julgo que não é isso que é do interesse do país.

Mas enfim, deixemos o PS a lutar pela liderança para uma nota importante. O regresso aos mercados e mesmo o fim, a prazo, do programa da troika não é nem pode ser um regresso ao despesismo socretino. O esforço que os portugueses são deram e continuam a dar todos os dias seria deitado fora se assim fosse. Aliás, esta confiança dos financiadores só é alcançado com níveis de impostos que muito honestamente me deixam tão feliz como uma vitória do Benfica. O esforço do governo tem de se concentrar eficazmente em cortar despesa e trabalhar para a sustentabilidade das contas públicas portuguesas. Só assim estaremos em condições de baixar impostos e devolver a economia, que neste momento é ocupada pelo estado, aos portugueses.

This entry was posted in governo, Portugal and tagged , . Bookmark the permalink.