Isabel Moreira e os votos na direita

Isabel Moreira aparentemente anda preocupada com Paulo Portas a quem terá escrito uma “carta aberta“. Tirando as considerações pessoais e a linguagem algo, enfim, radical, resulta interessante perceber a evolução mental de Isabel Moreira nas últimas semanas.

É que a mesma Isabel Moreira há semanas escrevia (depois de dizer que a descida da Rua Morais Soares tinha sido histórica e que não havia espaço – depois viu-se nas urnas que teria a mente toldada):

No dia 4, votar PCP ou votar BE, é votar na coligação de direita. Não é nem patriótico, nem de esquerda,

e que para expulsar a direita era preciso votar no Partido Socialista. Ficamos portanto a saber que, ao contrário de Portas, que p.ex. em 2009 admitira várias vezes governar com o PSD, para Isabel Moreira o que vale antes das eleições não vale depois. Antes das eleições era importante garantir que ninguém votasse em Bloco ou PC para tirar de lá “a direita”. Depois das eleições adapta-se o resultado ao objectivo pretendido e retroactivamente promovem-se os ditos votos na direita em votos na esquerda. Como se sentirá um eleitor do PS que seja que votou nos socialistas com base nestas palavras de Isabel Moreira? Terá aprendido a lição?

This entry was posted in Parlamento, Portugal, PS and tagged , , , , . Bookmark the permalink.