Revista de Imprensa

Este fim-de-semana a imprensa também se dedicou a fazer as contas do orçamento, chegando às mesmas conclusões aqui descritas.

Orçamento distribui mais dinheiro a quem ganha mais (DN)
Maior parte do esforço orçamental do governo dirige-se a famílias com rendimentos acima de €1400 (Expresso)

Entretanto, talvez incomodado com o fact-checking dos jornais, António Costa lança uma série de vídeos em que conversa «pessoalmente» com os portugueses para explicar o orçamento. E nem quando dá a cara a coisa resiste à mínima das análises. Quando começa logo por dizer que «baixámos o IRS a 99,7% dos portugueses» esquece-se que isso é impossível: mais de metade das famílias não pagam IRS. (Aqui há uma análise mais detalhada).

Tudo isto, enquanto o incansável secretário de estado dos Assuntos Fiscais acena com novas mexidas no IRC. É pena não haver notícias do cenário macroeconómico do PS. Seria engraçado perceber o impacte das constantes mexidas nas perspectivas económicas. Não é preciso ser vidente para adivinhar (até depois de o PS ter, neste campo, quebrado o pacto que firmou com a anterior maioria) o que isto faz à confiança dos [potenciais] investidores, já para não falar do suplementar aumento da carga fiscal aqui provocado. Como há uma ilusão de que quem paga o IRC não são pessoas mas sim máquinas, estará tudo bem.

This entry was posted in governo, PS and tagged , , , , . Bookmark the permalink.